Soluções para varandas difíceis

artigo original Estreita, curva ou comprida demais. Seja qual for o "defeitinho" de sua varanda, existe uma maneira de melhorá-la. Do vaso que esconde as irregularidades do ambiente aos painéis que mudam o foco de atenção, é possível transformar aquele canto perdido em um belo jardim.

Disfarce com plantas
Tinas de madeira de demolição com viburnos escondem a forma acentuadamente curva desta varanda. Truques sutis para suavizar a irregularidade do espaço. Além da disposição ordenada de tinas, o piso de madeira de demolição deve ser assentado na vertical, aos olhos de quem passeia pela varanda. Isso reduz as quebras e facilita a projeção dos vasos pela área.

Para chamar mais a atenção para o canto regular da varanda, um painel de madeira de demolição deve revestir uma das paredes, que mais um aparador de cruzetas com plantas em vasos. A outra parede pode receber uma treliça com lágrima-de-cristo, além de uma floreira com herinha.

O costume de usar o jardim para tomar café-da-manhã e ler jornal deve ser preservado num espaço para uma namoradeira e para os cubos de demolição, que servem de mesa. O canto ainda pode ser preenchido com uma jabuticabeira, uma pata-de-elefante e duas eugênias.

Pisos de madeira são fáceis de instalar em varandas e podem ser montados sem reformas demoradas.

Livre para circular
Mesmo extensa uma varanda pode ficar com limitação de largura em função do seu desenho, em arco. O espaço para a circulação quando for pequeno pede mais vegetação na área. A solução pode ser simples com vasos redondos nas extremidades mais curvas da varanda e quadrados no centro menos arredondado; suavizando o arqueamento sem atrapalhar a circulação.

Para incluir mais verde sem congestionar a passagem, pode-se dispor de um painel de aço com pintura eletrostática ocupado por cipó-uva. Nos vasos, há espaço para suculentas, pacovás, buxinhos e bambu-mossô. Os móveis alternam-se às plantas - tudo bem colocado para ninguém notar a acentuada curva da varanda.

Em varandas extensas e estreitas, disponha os vasos e os móveis em ziguezague para livrar a circulação.

 

Resolvida de canto a canto
Imagine um corredor pelo qual não passam duas pessoas juntas e que termina em uma área alguns metros mais larga. Agora pense em formas de acrescentar plantas a esta área, sem dificultar o seu uso. O visual desta varanda pode ser mudado com alguns truques. Cobrindo o piso com pedriscos e módulos de madeira, que servem de pegadas. O piso escuro dá a sensação de que o espaço é menor e o pedrisco é uma solução rápida, sem quebra-quebra;

Os vasos devem ocupar as extremidades da varanda para não obstruir a passagem. Mesmo assim, o verde deve surgir nas paredes: um painel com ripsális, com exemplares de orquídea-chuva-de-ouro, logo na entrada da varanda, podendo ser visto por quem estiver na sala;

Mesmo pequena, a varanda tem espaço para as poltronas de madeira de demolição e o vaso de granilite com pândano.

 

Jeito de sala
O banco é uma extensão do sofá na varanda. As pessoas habituadas a ter os amigos em seu apartamento, irão se identificar com esta solução. A sala com a integração da área externa. O banco acomoda confortavelmente até três pessoas;

Como a varanda tem um desenho difícil, a parte mais estreita deve ser parcialmente camuflada com vasos altos de flores ornamentais. Eles criam uma parede imaginária na mesma largura da parede da sala. Sob o aparador, recomenda-se dispor de uma bacia com uma mini-horta. A Carla tinha alguns vasos de ervas na lavanderia. Resolvemos acrescentá--los à varanda, assim ficam mais perto dela e de sua cozinha;

Vista do corredor estreito, a varanda acaba passando uma imagem de nem parece ser tão pequena;

A mini-hortinha deve misturar espécies perfumadas, como a lavanda e a arruda, e temperos - hortelã, manjericão miúdo e alecrim. A dica para esse tipo de horta é: quanto mais você retira as folhas,
mais elas ficam viçosas;

A varanda serve de apoio para a sala, por isso os vasos mais altos criam uma linha imaginária na mesma largura da parede da sala.

 

FONTE: http://revistacasaejardim.globo.com/Casaejardim/0,25928,EJE1694318-2194-1,00.html